É com satisfação que o administrador de empresas Euler Vignoli mostra o viveiro e a horta comunitária no conjunto Santos Dumont, com 786 apartamentos distribuídos em 45 prédios. Neles, quase 4 mil pessoas, o que corresponde a cerca de 10% dos moradores do Padre Eustáquio.

Conjunto é o pulmão do Padreco. Foto: Paulo Henrique Lobato

Mas engana-se quem pensa que o conjunto é mais uma selva de pedras em BH. Pelo contrário, o local é tido como o pulmão verde do Padre Eustáquio. “Preservar o meio ambiente é uma das nossas missões”, diz Euler, também síndico do Santos Dumont.

No viveiro, acrescenta ele, dezenas de mudas de rosas estão próximas de serem plantadas. Vão deixar os jardins ainda mais coloridos, como o Maria Júlia Vilhena, criado em homenagem à memória de uma artista plástica que morou no conjunto e ajudava a preservar a natureza.

O jardim fica próximo a 11 palmeiras imperiais e alguns coqueiros. Pouco adiante, um pé de ameixas amarelas à disposição dos moradores, assim como a horta, cultivada num espaço ao lado da cerca que separa o conjunto da avenida Tereza Cristina.

Lá há alface, tomate, beterraba, pimentão, cebolinha… “A intenção é que todos os moradores participem da horta. Qualquer um pode colher. Queremos que as pessoas cuidem da horta, seja plantando ou regando-a”, desejou o síndico, adiantando que vem novidade por aí.

Chama o síndico: Euler conta que vem novidades por aí.

Trata-se da coleta seletiva, que deverá ser implantada no Santos Dumont em breve. Mais um projeto do pulmão verde do Padreco para preservar o meio ambiente.

Leia também:

Padre Eustáquio já foi a rua dos cinemas

Conheça a história de um grafite que faz sucesso no Padre Eustáquio.

 



Comentários

comentários