Sobre produtividade e SMS*

(Valeriano Duque de Oliveira)

Produtividade quer dizer eficiência. Por isso é um assunto tão importante a ser tratado por todos. E todos os dias, porque eficiência é uma coisa que todos deveriam buscar, seja nas empresas, seja nos hospitais, no esporte e em nossas casas. Mas o que seria produtividade, de uma maneira bem fácil para todos entenderem?

Valeriano trabalhou no ramo de engenharia da produção por mais de 40 anos. Especialista no assunto, é autor de um livro que ainda chegará às livrarias.

 

 

Produtividade é a relação entre o resultado e o custo. Muita gente, inclusive gerentes, confunde produtividade com produção. Produção é apenas o resultado, independentemente do custo. Assim, se digo que minha empresa produz 1 mil copos por hora, estou falando da produção. Mas se digo que produz 10 copos por
HH (homem hora), estou falando de produtividade, porque o HH tem custo (o custo da hora de trabalho da minha empresa).

O Brasil, há muito tempo, tem feito bonito em produtividade na agropecuária, batendo recordes ano após ano, mas na indústria não tem sido assim. Países que
eram tão ruins quanto nós há 30 anos – como Coreia do Sul, Tailândia, Malásia, Chile, etc – investiram na educação voltada para resultados e, hoje, estão muito melhores que nós, que nesse tempo todo não avançamos praticamente nada em termos de aumento da produtividade industrial.

Isso é péssimo para o país, já que 21% do PIB (Produto Interno Bruto) vêm da indústria e apenas 6%, do agronegócio (dados de 2016). Maior produtividade significa maior competitividade, que significa maior mercados interno e externo, que significam mais emprego, menos violência, mais qualidade de vida etc.

Mas quero voltar a falar mais um pouco sobre como a produtividade está presente em tudo na nossa vida, por isso é tão importante. Vejam esses dados sobre futebol, um esporte que todo brasileiro gosta (dados do Campeonato Brasileiro série A de 2016, considerando os 20 clubes participantes e os 15 jogadores que mais chutaram a gol e que mais balançaram as redes, conforme o site Yahoo Esportes):

– 45% dos chutes a gol foram na direção da meta;
– 25% desses chutes se transformam em gols.

Fazendo uma continha rápida, concluímos que apenas 11% dos chutes a gol se transformam realmente em gols – eficiência de 11%. Mas se aumentar um pouco os chutes na direção da meta, de 45% para 60% (mais pé na forma), e aumentar os chutes que se transformam em gols de 25% para 37% (chutar mais colocado e/ou mais forte), a quantidade de gols sobe para 22%.

Ou seja: dobra o número de gols. Nada mal, não é verdade?

Apenas para comparação: no campeonato europeu de 2015 (UEFA Champions League 2015), considerando os 15 clubes participantes e os 30 maiores goleadores, vemos que lá 54% dos chutes foram na direção da meta, e 24% se transformaram em gols, o que mostra uma eficiência de 13% (ou seja, 18% mais eficientes que nós). Dados do site UEFA.com.

Esses dados mostram como a produtividade, ou melhor ainda, a eficiência pode ser
melhorada sempre, e como está presente em tudo na nossa vida.

*SMS: Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Saúde Ocupacional.

A partir do próximo texto, abordarei sobre os “fatores críticos de produtividade”, ou seja, aqueles que impactam, em maior ou menor grau, na produtividade das Organizações.

*SMS: Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Saúde Ocupacional.

Precisando falar comigo, deixe um comentário abaixo ou me envie um email. Grande abraço!!! valeriano.duque1805@gmail.com



Comentários

comentários