Você pode descer ou subir a rua Progresso, mas pare em frente ao número 181. É lá que fica o tradicional bar e restaurante Patota, onde há um imperdível rodízio de caldos às quintas e sextas-feiras.

As panelas com iguarias ficam sobre o fogão a lenha: caldos de feijão, mocotó, dobradinha, moranga, batata baroa, verde, de peixe e uma deliciosa canjica doce (a reportagem continua abaixo da foto).

D’Lucca : “Frio combina com caldo”. Foto: Paulo Henrique Lobato

“Oferecemos os caldos há seis anos, de maio a agosto. Vai começando o frio, os clientes já perguntam quando teremos os caldos. O Patota virou point no frio”, comemora Genuíno José de Sá, um dos proprietários do Patota há 22 anos.

O rodízio, a partir das 19h, sai a R$ 18,90 por pessoa e há a opção por unidade, a R$ 9,90. O serralheiro Marcus D’Lucca adora o de canjiquinha: “Frio combina com caldo. E o daqui é espetacular”.

O Patota ainda oferece cardápio com 15 opções de petiscos, entre carne vermelha, peixes, torresmo e mandioca. São 18 marcas de cerveja. Genuíno garante: “Estupidamente geladas”.

E vem novidade por aí: o Patota vai começar a servir espetinhos. O restaurante funciona todos os dias, inclusive nos feriados, das 8h à meia-noite. No almoço, self-service a R$ 26,90 o quilo e, de sexta-feira a domingo, há opção com churrasco, a R$ 36,90 o quilo.

O Patota aceita cartões de crédito, débito e vale-refeição.

Leia também:

Conheça o bloco Vou Ali e Volto

Anjos protetores no Padre Eustáquio



Comentários

comentários