Uma vida de caridade contada por diferentes objetos. Esta é uma das propostas do acervo em exposição no interior do santuário Sagrados Corações, no Padre Eustáquio, numa espécie de museu dedicado à memória do beato que emprestou o nome religioso ao tradicional bairro.

Trata-se de objetos usados no dia a dia do holandês em tarefas pessoais ou em cerimônias litúrgicas. Há o brasão dos Sagrados Corações com bordado em linha, da década de 1930, e a estola em cetim, usada em confissões e unção dos enfermos.

Também a casula: parâmetro litúrgico para celebração da eucaristia. O museu conta ainda com vários outros pertences e quadros com imagens do padre que passou por várias cidades brasileiras até chegar em BH, em 1942, onde iniciou a construção do templo dedicado aos Sagrados Corações e também chamado, carinhosamente, de igreja Padre Eustáquio.

A cruz em madeira que fez parte do túmulo de Eustáquio no cemitério do Bonfim, onde o corpo foi sepultado antes de ser exumado e transferido para o santuário, também é destaque diante dos olhos dos fieis.

Acervo ajuda a contar a vida do holandês.

Objetos atraem multidão de fieis.

Atentos, devotos reparam nos objetos, passam as mãos sobre uma imagem de madeira e oram. Agradecem graças realizadas e pedem a interseção do beato para causas que jamais são impossíveis a um santo – Eustáquio já é considerado santo por boa parte dos fieis.

Padre Marcus Vinícius, colaborador deste portal e responsável pela causa de canonização do beato Eustáquio, coleciona histórias  sobre o servo de Deus.

 

Em sua coluna, padre Vinícius escreveu: “São muitas histórias cheias de emoção que traduzem a gratidão por tantas graças recebidas ou a aflição esperançosa de quem almeja a bondosa intercessão do ‘homem da Saúde e da Paz’”. Para ler a coluna completa, clique aqui.

 

 

SERVIÇO:
O santuário fica na rua Padre Eustáquio, 2045, no bairro homônimo, CEP: 30.720-100 – BH/MG
Telefone: (31) 3462-6557
E-mail: secretaria@padreeustaquio.org.br



Comentários

comentários