Aberta a temporada 2018 de declaração do Imposto de Renda para quem recebeu em 2017 rendimentos tributáveis mensais acima de R$ 1.903,98. O prazo vai até 30 de abril, mas o ideal é que o contribuinte a faça o mais cedo possível para não perder dinheiro nem correr risco de cair na malha fina.

Quem explica é o contador Márcio Reis, com 30 anos de experiência e dono da Creditar Contabilidade: “Quem fizer antes será restituído antes, caso tenha direito. O primeiro lote será em junho. O último somente em dezembro”. (reportagem continua depois da imagem)

A dica dele não deve ser ignorada. Para ter ideia, o supervisor nacional do IR, auditor-fiscal Joaquim Adir, estima a entrega de 28,8 milhões de declarações em 2018. São 340 mil a mais que em 2017. Portanto, um dia a mais na entrega das informações pode fazer uma diferença grande para quem deseja ver o nome na primeira restituição.

“Se deixar para a última hora ainda corre risco de constatar a falta de um documento às vésperas do fim do prazo e não ter tempo suficiente para repará-lo. Poderá cair na malha fina e ser multado em até 75% do imposto devido. Na Creditar, monitoramos o processamento da declaração para evitar este tipo de problema”, disse Reis.

Na hipótese de a declaração não ser entregue no prazo, a pessoa pagará uma multa que vai de R$ 165,74 até 20% do imposto devido. Outro cuidado apontado por Reis trata do planejamento para aqueles que terão de pagar o IR: “O contribuinte que declarar em março saberá com antecedência o quanto desembolsará a partir de 30 abril”.

Já quem deixar para o fim de abril só saberá o valor às vésperas do pagamento à Receita e poderá não ter dinheiro disponível para a quitação, o que causa desequilíbrio financeiro. Mas nem tudo é obrigação. Há os casos de dedução e isenção, garantida a portadores de algumas doenças. O problema é a falta de conhecimento da população.

Não só das pessoas físicas. Muitos empresários, por exemplo, pagam o que não devem à Receita. “Se há empresário desconfortável com o valor destinado à Receita, busque nossa consultoria, porque é muito comum o empreendedor pagar o que não deve. O sistema tributário brasileiro é favorável às empresas. O problema é a falta de orientação adequada”, finalizou Reis. Que tal procurá-lo?

Serviço: a Creditar Contabilidade fica na rua Aquidaban, 885, Fundos no Padre Eustáquio, (31) 3296-4634

Você poderá gostar de ler também:

Bondes rodaram no Padre Eustáquio há meio século

Usual, uma loja que nasceu com a benção do beato Eustáquio

 



Comentários

comentários