Todos conhecemos a história da Cinderela, onde o espelho encantado responde repetidas vezes à rainha a respeito da superioridade de sua beleza em todo o reino. (o texto continua após a imagem)

Wander Nunes é psicólogo e terapeuta, vive no Padre Eustáquio há 20 anos. Gosta de pensar que ajuda as pessoas a encontrarem a felicidade mais simples e autêntica, a que vem de dentro, ao se descobrir e valorizar quem se é. Contatos pelo tel: 99163-3073 Oi (Whatspapp),

Essa necessidade de constante confirmação de beleza única revela o estado de espírito frágil da linda rainha. Tão bela quanto insegura projeta no espelho o alicerce de sua autoestima e vem a sofrer as consequências dessa aposta nos outros.

Nos dias de hoje – assim como a rainha – temos às mãos os “espelhos digitais”, os smartphones e celulares, onde podemos projetar nosso reflexo de uma maneira preconcebida, melhorada, idealizada.

Repare nas últimas selfies que você postou…

São ou não são projeções de momentos que querem transmitir algo? Quais seriam as ideias que você valoriza com sua imagem? Em que personagens nos inspiramos, quem gostaríamos de ser?

Mas… E quanto ao seu espelho mais íntimo? Aquele onde você se reconhece, onde se vê refletido bem como é em essência, sem filtros nem retoques?! O que lhe diz aquela voz interior mais profunda e íntima, de si para si mesmo?

Não há problema algum em rechear de fotos as redes sociais. Postar mil selfies em todas as refeições ou quando se está na academia.

O que não é saudável é quando a sua opinião, sua visão e o seu gostar de si mesmo ficam dependentes de uma referência externa.

Assim como a personagem da rainha, corre-se o risco da transformação da beleza em bruxaria, justamente em função do outro.

Suas referências sobre sua beleza, seu valor e sua autoestima precisam ser construídas por você, com você e para você!

Valorize-se e reflita seu melhor, sempre! Um grande abraço e até a próxima!!

Contatos: 9 9163-3073



Comentários

comentários