Moradores e comerciantes do Padre Eustáquio, Carlos Prates, Caiçara, Minas Brasil e Coração Eucarístico saíram em passeata, na manhã deste sábado (5/8), contra a decisão do governo em fechar a 9ª companhia da Polícia Militar, na Via-Expressa, e a 21ª, na Pedro II.

 

Concentração foi no santuário Sagrados Corações

Até dezembro, o estado pretende substituir 10 das 24 cias em Belo Horizonte por 86 bases móveis (vans e motos).

O governo justifica que a mudança irá melhorar a segurança pública na capital, mas moradores, comerciantes e lideranças regionais contestam a tese.

Alegam que um dos motivos é a falta de recurso do governo em manter todas as companhias.

“Se fechar a 9ª cia, certamente a violência irá aumentar. A unidade fica na Via-Expressa, que é rota de fuga de criminosos. Além disso, a cia funciona 24 horas em um imóvel próprio. Já as bases funcionarão das 6h às 2h”, reclamou o autônomo André Felipe Evangelista Frade, de 31 anos.

Ele foi um dos organizadores do ato na manhã de sábado. Com um megafone, convocou moradores e comerciantes a defenderem seus direitos.

A professora Vanessa Regina Freitas, coordenadora de uma rede de WhatSapp no Padre Eustáquio voltada para a segurança pública, também esteve à frente do movimento: “As bases devem ser complementares às cias”.

O ato começou às 9h em frente ao santuário Sagrados Corações, no Padre Eustáquio. O professor Paulo Medeiros, de 29 anos, chegou cedo. Morador do Coração Eucarístico, ele já foi vítima de assalto a mão armada.

“Dois rapazes chegaram num carro e pediram informação a mim e a mais três amigos. Quando nos aproximamos, um dos criminosos sacou o revólver e anunciou o assalto. Foi dose. Levaram pertences caros. A 9ª cia não pode fechar, pois está em um ponto estratégico”, desabafou.

A cia foi instalada em 2014, numa iniciativa de lideranças municiais, como o vereador Orlei, que também participou da passeata. “Não sou contrário às bases móveis. Sou a favor de que elas sejam um complemento às companhias”, disse o parlamentar.

Orlei foi um dos responsáveis por uma audiência pública na Câmara Municipal, em julho, para discutir o assunto. No mesmo mês, outra audiência ocorreu na Assembleia Legislativa. Nelas, os moradores tiveram uma vitória parcial.

Instalada em 2014, 9ª cia pode ser fechada

Instalada na Pedro II, 21ª corre risco de ser substituída por bases móveis

O comando da PM garantiu que as bases vão funcionar, em princípio, paralelamente às companhias. Clique aqui para relembrar o assunto.



Comentários

comentários