Padre Eustáquio,

    

Bairro Carlos Prates na rota da misteriosa quantia de R$ 1,2 milhão

O bairro Carlos Prates está na rota da misteriosa história envolvendo uma mala com R$ 1,2 milhão apreendida na primeira sexta-feira (4) de maio pela Polícia Rodoviária Federal na BR-040, em Sete Lagoas, região Central de Minas Gerais. O valor estava numa Hilux guiada por um policial civil aposentado em Brasília. Ele viajava acompanhado de um empresário de Goiás com envolvimento no jogo de bicho.

 

Dupla não revelou origem da grana. Foto: PRF / divulgação

Os policiais desconfiaram de que algo poderia estar errado diante do nervosismo da dupla. Também chamou atenção o fato de dois homens terem partido de Brasília com apenas uma mala no veículo. Na bagagem, cédulas de R$ 50 e R$ 100.

Questionada, motorista e passageiros não revelaram a origem do dinheiro. Optaram pelo silêncio. Resultado: foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal em Belo Horizonte.

Diante do delegado, o agente aposentado e o empresário disseram apenas que receberiam R$ 20 mil para levar a grana de Brasília até um imóvel no bairro Carlos Prates, região Noroeste de Belo Horizonte.

Eles foram liberados, pois transportar dinheiro, independentemente do valor, não é crime. Porém, como a origem não foi revelada, a quantia será depositada numa conta bancária até o Judiciário julgar o caso.

Leia também:

Conheça o abandonado Parque do Padre Eustáquio

Última viagem do bonde no Padre Eustáquio foi há mais de meio século



Comentários

comentários