Ânderson Caetano de Oliveira, de 42 anos, mora no bairro Padre Eustáquio desde que nasceu. Coleciona amigos e, como ele próprio diz, desafetos. Sem fazer juízo de valor, o portal de notícias foi atrás dos bastidores de uma história que viralizou nas redes sociais.

Caetano contou que havia saído de casa para saborear um tropeiro no Bola Bar, famoso pela estufa com maçã de peito, almôndegas, torresmo…

Já na calçada da Progresso, ele encontrou alguns amigos. E começou a cantar uma música antiga.

Trata-se de uma marchinha composta por seu Hélio, carnavalesco que morou no bairro. Caetano dançou e ensinou o refrão a amigos.

Em pleno século 21, claro que havia alguém com aparelho em mãos para gravar a cena. Atleticano doente, o empresário Rafael Nero, de 33 anos, postou a imagem no facebook.

Foi batata: o vídeo viralizou. “Muitos acessos em pouco tempo”, disse Rafael.

A fama do vídeo causou reações diversas entre moradores. Houve quem achou engraçado. Houve quem criticou.

Houve quem elogiou o rapaz. Houve quem não o elogiou.

O certo é que o vídeo teve grande repercussão. A reportagem tem o propósito de informar como foi os bastidores de um vídeo que viralizou. (matéria alterada às 9h24 de 8 de agosto de 2017)



Comentários

comentários